O Que faltou no PAC e em seus críticos

29jan07

Mas o mais assustador no debate econômico não é o debate entre keynesianos e monetaristas, é a ausência total de Schumpeter, o grande teórico da inovação tecnológica. A ação estatal pelo desenvolvimento não virá de dar dinheiro pra empreiteira, mas de criar um sistema nacional de inovação bem bolado. Mas vejam só o que saiu na Folha:

“Indicador de patentes da indústria que a Unicamp divulga nesta semana mostra outro retrato do atraso do setor na área de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Ao já conhecido fato de a indústria brasileira patentear poucos produtos, a pesquisa acrescenta outro: nossas patentes são registradas por setores tradicionais, fora do eixo de alta tecnologia em que elas se concentram nos países desenvolvidos.

O setor de máquinas e equipamentos é o campeão em registro de patentes entre as áreas que compõem a indústria de transformação no Brasil, o que sugere que ele deve estar também entre os que mais inovam na indústria brasileira. Áreas de ponta, como farmácia, biotecnologia e comunicações, sequer estão no ranking dos dez maiores “patenteadores”.”

E o que a universidade brasileira tem a dizer sobre isso? Que precisa de mais dinheiro pra fazer a mesma coisa que está fazendo. Aí é foda.

Anúncios


No Responses Yet to “O Que faltou no PAC e em seus críticos”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: