Medvedev

06mar08

Na Prospect, um artigo de Andreas Umland sugere que, se a importância da presidência russa não for rebaixada agora que Putin saiu, Medvedev – que teve algum envolvimento com a oposição democrata nos anos finais da URSS, e já se manifestou em termos bem mais liberais e pró-europeus que Putin –  pode vir a liberalizar o regime e se tornar um “Novo Gorbachev”. Não sei, não, mas vale a pena acompanhar.



4 Responses to “Medvedev”

  1. 1 Igor T.

    Se fosse o Roy, ficaria com esperanças.

  2. Pois é Igor, não se fazem mais Medvedevs, como antigamente. Para quem não conhece o Roy, chequem http://en.wikipedia.org/wiki/Roy_Medvedev. Por outro lado, se a wikipedia estiver falando a verdade, o Medvedev agora deu para apoiar o Putin. Pois é, nem o Medvedev é mais Medvedev como antigamente.

  3. Pois é… essa eu não sabia. Catei mais coisa sobre o assunto.

    Num artigo da Reuters, escrito por Christian Lowe, eu leio:
    http://www.reuters.com/article/newsOne/idUSL2467068620080225?sp=true

    there is historical precedent for effective power-sharing, said Roy Medvedev, one of Russia’s most distinguished historians who during Soviet rule wrote a dissident history of Stalin called “Let History Judge.”

    The first example, he said, was when Tsar Nicholas II in effect shared power with Pyotr Stolypin, his powerful prime minister who until his assassination in 1911 kept a lid on revolutionary unrest and pushed through land reforms.

    <>

    Under Soviet rule, Communist Party General-Secretary Leonid Brezhev shared power with Alexei Kosygin, chairman of the Council of Ministers.

    Medvedev said that for a decade until he resigned for health reasons in 1980, Kosygin controlled the economy and represented Moscow abroad while Brezhnev ran the party.

    <>

    “From these two examples you can draw the conclusion that for Russia such a system is possible,” said Medvedev.

    (Com todo o respeito, não dá, não, violão)

    “Russia is such a big country that … two people, if they are decent and good people, can tolerate each other for quite a long time provided they divide up spheres of responsibility.”

    (Hã?)

    Não retiro minhas palavras de admiração. Gosto muito dos livros dele, mas como você disse, nem o Medvedev é mais Medvedev como antigamente.

  4. Ai!! Entre os <> estavam outros comentários, que apagaram pelo marcador do htlm.

    Enfim, o primeiro exemplo do Medvedev, Nicolau II, é meio furado: o tzar só aceitou convocar a/o Duma depois da Revolução de 1905, o que demonstra o quanto ele estava empolgado em dividir alguma coisa; depois, sim, ele tentou melar a Assembléia Legislativa com a ajudinha do Stolypin, mas isso não pode ser caracterizado como power-sharing.

    Sobre Brezhev dividir o poder com Kosygin, é quase como dizer que Vargas dividiu o poder com o Horácio Lafer ou Osvaldo Aranha. (parece forçado, mas foi o Medvedev quem começou). Med, conta outra.

    Daí o final: não dá não, violão.

    Além disso, a característica básica da democracia, uma delas, não é dividir o poder, mas passar o cetro, sem ficar de eminência parda.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: