Gabeira e a Dengue

02abr08

Post interessante lá no Blog do Gabeira sobre a epidemia dengue:

“O Rio falhou na tarefa de evitar a epidemia. O argumento do clima, das chuvas etc. é muito fraco. Niterói está do outro lado da baia, com as mesmas chuvas e o mesmo clima. No entanto, lá não houve epidemia.

Foi produzido no COPPE, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, um programa para avaliar o avanço da dengue. O programa foi usado com sucesso – em Fortaleza. Nossa cidade não aproveita a produção de nossos cientistas. Quando é que vamos unir todos os pedaços de uma cidade partida?”

Esse negócio da dengue em Niterói (que já tinha sido comentado pelo Felipe Basto aqui no blog) é meio que uma vergonha para o César Maia, mesmo (principalmente porque a prefeitura é do PT). E o negócio de Fortaleza também é uma beleza.

É impressionante que o CM, que tem aquele perfil tecnocrático todo, continue sem idéia para a área de saúde. No começo do mandato dele diziam que o problema foi dar a secretaria de saúde para o PPS, mas não parece que as coisas melhoraram tanto depois disso.

Agora, o que tem de interessante mesmo no site do Gabeira sobre a epidemia é a matéria da BBC sobre o modelo de combate à dengue em Cingapura, que envolve multas pesadas para quem deixar água parada.



13 Responses to “Gabeira e a Dengue”

  1. 1 fabio

    Já o que me chamou a atenção, Naprática, foi essa passagem:
    “Durante toda a semana procurei conhecer e oferecer alternativas para a epidemia de dengue que assola o Rio. Falei com autoridades, especialistas, e cheguei à conclusão de que é muito difícil debelar o problema antes do meio de abril.”
    Sublime. Poderia até ser a Frossard.

    Até mais

  2. Grande Fábio! Bom, hoje é dia 2. Qual a sua sugestão para debelar a epidemia até o dia 15? Tá bom, pra não dizerem que eu sou intolerante, até o dia 16 às 3 da tarde?

  3. 3 fabio

    Minha sugestão é tirar o PPS, o PSDB, o PFL, e seus atiradores espallhados por aí – no caso, o Gabeira – da prefeituyra o mais rápido possível.
    O ideal seria colocar lá alguém que não tenha começado a se interessar pelo assunto na semana passada.

  4. A propósito, aproveito para reconhecer que a Frossard acabou se revelando uma merda de candidata, mesmo. E o Cabral me surpreendeu positivamente, principalmente na escolha do secretário de fazenda, talvez o melhor quadro da administração pública do Rio em muito tempo. Se a eleição fosse hoje, votaria pela reeleição do Cabral.

  5. E uma imensa injeção de petistas como nós na administração pública até o dia 16 às três da tarde reduziria dramaticamente a taxa de reprodução do mosquito? Porque se não, não há desacordo. Ninguém duvida que a prefeitura fez merda no caso da prevenção da dengue, nem é isso que o Gabeira está dizendo (aliás, está dizendo o contrário).

  6. 6 fabio

    Naprática, o CM prejudicou mais o Rio do que o Severino o Brasil.
    O mínimo que eu esperava era que o Gabeira já soubesse disso – não é de hoje que a saúde no Rio é usada para a guerrilha de factóides.
    Que ele tenha feito essa descoberta essa semana – afinal, nunca é tarde – vá lá. Mas onde está o fervor em defender a população que ele mostrou quando o assunto era contrato da cantina da Câmara? Quantas mortes ele precisa para considerar necessário “iniciar um movimento para tirar ele de lá”? Digamos assim: quantas vidas no Rio são necessárias para a mesma indignação dos supostos 20.000 que o Severino levou da cantina?

  7. Fábio, sua afirmação sobre o César Maia é ridícula. Não precisa perguntar pra mim, pergunte ao Bittar (que eu acho um quadro sub-utilizado pelo PT), que, quando concorreu à prefeitura admitiu que o CM tinha feito várias coisas boas, como o favela-bairro, a política cultural, etc. Não há a menor sombra de dúvida de que o CM melhorou a cidade em inúmeros aspectos, e a população carioca é plenamente consciente disso.

    A questão, naturalmente, são os limites do que se pode esperar de um prefeito do PFL. Ele não vai levar o favela-bairro além do ponto em que bate com o interesse da especulação, ele não vai fazer as milhares de pequenas obras sem visibilidade nos subúrbios que seriam necessárias, não vai brigar com as companhias de ônibus para fazer o bilhete único. Para isso, sim, precisa um candidato de esquerda. Agora, eu não vou votar em um candidato de esquerda que queira desfazer o que o CM fez de bom. O Bittar era inteligente o suficiente para saber disso.

    A propósito, gostei dos “supostos” 20 paus do Severino.

  8. 8 fabio

    Napratica
    O fato é que a dengue diminui em todo país, menos na cidade do Rio.
    E que o dinheiro do ministério da saúde foi desviado da finalidade para a qual foi enviado.
    E que onde o dinheiro foi aplicado corretamente a dengue está sob controle.
    Então eu não acho ridículo responsabilizar a prefeitura pelas mortes. Não que eu espere grande coisa do CM – embora o Bittar seja realmente inteligente. Jamais espararia as milhares de pequenas obras sem visibilidade. Por mim ele poderia até pintar os carros de combate a dengue de rosa e colocar uma musiquinha tipo caminhão de gás – mas que os carros e as equipes de combate ao mosquito estivessem na rua não é esperar demais. Nem do PFL. Nas outras prefeituras do PFL os carros circulam com as equipes. Eu mesmo vi a fumacinha circulando em Cabo Frio em Janeiro. Em Cabo Frio ninguém morreu. E nem precisaram de petistas.
    Mas isso não pode ser considerado “entrar na frente do Gabeira”, não é mesmo?

    Chega por hoje, Naprática. No próximo post do Gabeira eu volta para implicar.
    Um abração

  9. Fábio, nesse negócio da Dengue o CM fez merda, mesmo, sem dúvida. Só estou discordando que ele tenha sido ruim para a cidade, no geral. Bom, pode deixar que vou postar mais sobre o Gabeira, como forma de manter sua inteligentíssima audiência. Apareça!

  10. 10 Felipe Basto

    O Cm é uma merda para cidade, sim. Ele ganha ponto em comparação com os oito anos de desgoverno do casal Rosinha/Garotinho que foi um dos piores do Brasil em muito tempo. Principalmente aí na capital.
    Quanto a Niterói, eles fazem trabalho de prevenção, que não aparece tanto, tipo saúde em casa e Médico da família, medidas educativas eficazes e permanentes. O modelo é cubano. Além, claro das obras de saneamento que ninguém vê.
    O interessante do César é que ele é um sujeito civilizado, caso vc não seja camelô. Caras como ele e o filho podem ajudar a montar a tal oposição responsável de direita lá do outro post.

  11. 11 Felipe Basto

    Ah, só pra completar, que eu me lembre a prefeitura do RIo sempre usou a violência como desculpa pra não implantar nada tipo médico de familia nas comunidades. Mas o que sempre faltou foram profissionais bem-pagos,equipamentos… enfim verba bem aplicada. Senão dava pra ter feitouma experiencia na Tavares Bastos, onde fica a sede dos caveiras(BOPE), favela mais segura do pedaço e mesmo assim sem outras presenças do Estado.

  12. 12 Felipe Basto

    Mestre dos blogs, posso mudar de assunto? Sobr propostas de politicas públicas, o gfGlobo de ontem publicou nota sobre a redução de ICMS que o Cid “Mano” Gomes aplicou no preço do diesel vendido as empresas de onibus, com isso a prefeitura petista de Fortaleza pôde abaixar a passagem de R$1,60 para R$1,00.
    E alguém aí sabe se o Gabeira é contra ou favor de jogos acima de 2750 mts?

  13. EXCELENTISSIMO SR. REITOR DA UNIVESSIDA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO.

    Solicito uma parceria desta instituição, porque as caixas de água envolvem muita mão-de-obra do agente de saúde, as quais através de pesquisa científica poderão ser melhores aproveitadas. Conforme o resumo de documentação em anexo
    Combate natural ao mosquito da dengue

    O que existe na natureza não precisa inventar porque nada tem superado o que é natural. Milhões de m³ de água de grandes represas são consumidas diariamente.
    As caixas fechadas não evitam os mosquitos produzirem os ovos em outros locais. Tudo depende de tempo e de espaço, se o mosquito não mudou essa filosofia as caixas abertas podem ser uma grande armadilha para combater a dengue. Os vasilhames e pneus dispersos não representam 1% da lamina de água a qual as caixas de águas semi-abertas em cada residência aumentariam essa proporção em 1000%.
    As telas fixam dentro das caixas – em baixo da bóia – surpreendendo as larvas diariamente os 365 dias do ano, pois a água ultrapassará as telas na maioria das caixas duas vezes, todos os dias, no espaço de 24 horas. No período da noite, a caixa de água é abastecida e, durante o dia, esvazia normalmente pelo consumo do usuário. As larvas em cima da tela sem água são eliminadas em três minutos. Se cada residência consumir um pouco de água que ultrapasse a tela pelo menos uma vez em oito dias, ainda seria suficiente para quebrar o ciclo de reprodução do mosquito. Se alguém tem dúvida, de que as larvas não morrem no seco em três minutos, é simples, coloque-as fora da água para comprovar.
    As águas das caixas sendo armadilhas naturais, principalmente no verão, os mosquitos não vão encontrar tanta fartura de água como a encontrada em milhões de m³ que passam diariamente pelas as caixas de água das residências nos distritos e municípios. Isso pode ter impacto, porque as larvas sendo eliminadas dia a dia nas caixas de água não terão tempo de crescerem por causa do consumo de água diariamente.
    Cada mosquito põe em média cinco mil ovos. Se as caixas estiverem fechadas, principalmente no verão, essa produção será depositada em qualquer lugar fora de controle. Conseqüentemente quando chover em milhares de poças aumenta os focos do mosquito da dengue, e as ações de combate serão reforçadas com mais pessoas. Quando se alcança um resultado satisfatório, os agentes de saúde recuam e, posteriormente, o problema também retorna mais forte

    A POESIA DO MOSQUITO DA DENGUE

    O que o mosquito mais quer
    É água limpa e parada
    Decifrar esse enigma
    É a pesquisa da caixa aberta ou fechada
    A caixa fechada milhões de mosquito passam em frente
    Elas abertas, a visita seria permanentes
    Dispensar as caixas como armadilha
    Pode penar muita gente
    A tela fixada abaixo da bóia
    Em três minutos a vida do mosquito é complicada
    Se são larvas em cima das telas morrem no seco
    Se é mosquito em baixo da tela morre afogado
    Podemos sair da posição defensiva para ofensiva
    Pelo consumo de água normal
    Não depende de larvicida e nem dos usuários
    De quem se esperava afinal
    A água das caixas serão armadilhas
    Os mosquitos e as larvas são as presas
    De dia ou de noite
    São apanhados de surpresa
    A intervenção na reprodução
    A idéia faz a diferença
    Porque o homem raciocina
    E o mosquito não pensa

    Atenciosamente.

    José Jue Ferreira de Almeida

    Fortaleza-CE, 13 de Maio de 2008.

    Telefones para contato: (85)3235-2724 (85) 9153-4372

    E-mail: josuefdealmeida@yahoo.com.br


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: