Meme Literário

07abr08

O Hermenauta passou adiante o seguinte meme :falar alguma coisa sobre seus cinco autores preferidos. Eu aqui reproduzo o meme e convido os leitores a responderem em seus blogs, ou na caixa de comentários. Lá vai:

1) Machado: sempre conto a seguinte história: no meu colégio, no segundo grau, havia um concurso literário que tinha duas fases. Na primeira um professor eliminavam as coisas realmente muito ruins, e na segunda vários professores votavam. Em dois dos três anos eu fui eliminado de primeira (tinha que ser ruim, mesmo, pra conseguir isso), mas no outro ano eu ganhei o concurso! Meu doping naquele ano foi ter acabado de ler “Memórias Póstumas de Brás Cubas” na véspera do concurso. O cara é um gênio, e a leitura dele eleva uns três pontos o seu QI.

2) Borges: muita gente acha frio, e é meio verdade. Não é uma exploração profunda da subjetividade, essas coisas. Mas os continhos, sempre pequenos, colocam uns problemas filosóficos espetaculares, de maneira belíssima. Pode botar aí mais uns cinco pontos de QI na sua nota se você já tiver lido.

3) Maquiavel: Bença, São Nicolau.

4) Ian McEwan: escreve maravilhosamente, e tem um tema recorrente que eu acho espetacular: como basta uma besteira que você faz para arrebentar sua vida, como a contingência nos leva de um lado para o outro. “Atonement” é um dos livros que mais me emocionou na vida. Recomendo também “O Inocente”, “Na Praia” (lindo) e “Enduring Love”. “Amsterdam” é o mais premiado, mas eu não achei grande coisa, não.

5) Philip Roth: escreve pra caralho, é engraçado, pornográfico, pesado e doente mental. Se você quiser se divertir, leia “Complexo de Portnoy” (não precisa ler o finalzinho, uma idiotice), ou “Operação Shylock”, ou aqueles todos do Zuckerman . Agora, o cara ficou espetacular, mesmo, n'”A Mancha Humana”, um negócio maravilhoso.”Pastoral Americana” é bonito, mas uma desgraça só. Ah, sim, “Casei com um Comunista” é bacana, além de ter um título ótimo.

Além disso, o meme também pede que você recomende um livro que pode apodrecer nas prateleiras. O meu é fácil:

O Quadro Flamenco, de Arturo Pérez-Reverte. Puta premissa bacana, e um final que, sinceramente, pelo amor de Deus, puta que o pariu. Atenção: spoiler para seu próprio bem: o assassino é o amigo da protagonista, que inventou a trama toda só pra ela passar por umas experiências emocionantes. Ou algo assim, estou tentando esquecer. Se eu encontrasse esse cara na rua, dava porrada até ele me devolver a grana que eu gastei (inclusa a remuneração pelo meu tempo perdido).



16 Responses to “Meme Literário”

  1. 1) Honoré de Balzac – sociólogo avant la lettre
    2) Nelson Rodrigues – o melhor crônista de todos os tempos
    3) Fernando Pessoa – poeta, moderno, Pessoa
    4) Chuck Palahniuk – sacanagens além de Clube da Luta
    5) Alan Moore – quadrinhos também são arte

  2. Mestre vtYojr, matou a pau, excelente lista.

  3. Pois é, o McEwan caberia na minha lista também, não tivesse eu lido apenas um livro dele. Mas gostei pra burro (Atonement).

  4. 4 fabio

    1. Juan Rulfo – El llano en llamas – o Anti-borges mexicano.
    2. Adolfo Bioy Casares – La invención de Morel – Diário de um náufrago em uma ilha supostamente deserta. Incrível.
    3. Guimarães Rosa – Grande Sertão: veredas – a melhor história de diabo de todos os tempos
    5. Fernando Pessoa – O livro do desassossego – a desagregação posta a nú
    4. Dostoiévski – Os irmão Karamazov – o pai de todos

  5. Rapaz, só tem leitor de alto nível nesta budega.

    Hermenauta, se quiser uma dica de outro livro do McEwan, eu recomendaria ou o Inocente ou o Na Praia. Tem gente que adora o Sábado, eu também gostei, mas não achei tão bom quanto os outros. O Atonement é que é do caralho, mesmo.

    Fábio, concordo com tudo, mas admito que não conheço o Juan Rulfo, vou correr atrás. Porque ele seria o anti-Borges? Grande Bioy Casares.

    André, vou atrás do Memórias de um Sargento, quando ler aviso, sei que é meio vergonha ainda não ter lido, mas antes tarde do que nunca.

  6. 6 fabio

    Naprática

    Um é o estereótipo do argentino, outro do mexicano.
    Trataram dos mesmos assuntos, adotando posições inversas e mesmo assim muitas vezes com as mesmas soluções estéticas – a brevidade, a economia de palvras, a fantasmagoria. Os dois são secos, mas Rulfo é aspero, Borges refinado.
    São, na minha opinião, o melhor do regionalismo e do “anti-regionalismo” – as duas saídas da literatura latino-americana para o fim do romance realista a la Balzac. Aliás, as primeiras interfrências perceptíveis dos latinos-americanos na literatura universal.

    http://www.sololiteratura.com/rul/rulobras.htm

    Abração

  7. Fábio, valeu pela dica. Interessante essa consideração sobre o regionalismo e o anti-regionalismo, fiquei pensando sobre isso. Teria a ver com a dificuldade de fazer uma literatura “nacional”? Sei lá, estou pensando alto.

  8. 8 val

    Os últimos melhores, porque os melhores eternos só existem nos livros de história da literatura ( e até eles mudam, ainda que lentamente). Com sugestões de acompanhamentos necessários à leitura.

    1. À espera dos bárbaros, do Coetzee. (com um anti depressivo na cabeceira da cama)
    2. O falcão maltês, de Dashiel Hammet. (com o filme relíquia macabra ao lado, para ver depois)
    3. Caixa preta, do Amóz Oz.(com um fio de esperança)
    4. Temporada de caça, do Andrea Camilleri. (com alguém ao lado para rir muito e comentar)
    5. A rosa de Alexandria, de Manuel Vásquez Montalbán. (com a geladeira cheia de guloseimas, tapas espanholas, de preferência. E um caderno de receitas, claro.)
    6. Relato de um certo Oriente, do Miltom Hatoum. (com caixa de lenços e passagem comprada para Manaus)

  9. Val, sua lista é excelente. Esse do Coetzee é realmente ótimo, e uma tristeza só, mesmo (mas menos desgraçado do que Desonra). Vou anotar os títulos do Camillieri e do Montalbán, porque gosto deles mas não li esses aí. Apareça!

  10. 10 Felipe Basto

    Qualé, NPTO? Tudo certinho?
    Machado – O Alienista
    Kafka – A Metamorfose
    Neil Gaiman – A Estação das Brumas
    Garcia Marques – Cem anos de Solidão
    Idem – O General em seu Labirinto
    Lista é difícil. Deu vontade de colocar o Aleph, Desonra e Watchmen, mas preferi ficar com os que eu sempre lembro e pego, nem que seja só pra folhear e ter por perto.
    Vc deve estar pensando: O Theo não botou nada de sci-fi? Mas aí seria outra lista, de quadrinhos também.

  11. 11 Felipe Basto

    Crime! Esqueci da Jangada de Pedra,fica no lugar do General.

  12. Grande Felipe! Grande Lista, eu também fiquei na dúvida se colocava o Estação das Brumas, mas achei que merecia uma lista em separado.

  13. 13 Felipe Basto

    Bom, já que vc concorda. Vamos nós.
    Estação das Brumas – Neil Gaiman
    Watchmen – Alan Moore
    A Piada Mortal – idem
    Camelot 3000 – Matt Wagner
    O Incal – Moebius & Jodorowsky


  1. 1 Meme Literário « A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM
  2. 2 O meme literário «
  3. 3 Meme Mutante: 5 Gibis « Na Prática a Teoria é Outra

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: