Ouçam quem sabe

08maio08

Do Noblat:

“Outro dia, o governador de São Paulo José Serra (PSDB), aspirante à vaga de Lula, alertou seus companheiros de partido: “Se continuarem tratando a Dilma dessa forma ela acabará emplacando como candidata. E com chances reais de vencer”.

Ontem Dilma deixou de ser a candidata que ia fazer presença para ser uma concorrente de verdade. Vejam como são as coisas. Como diria o América do México, “pô, os caras estão jogando do nosso lado, também?”



8 Responses to “Ouçam quem sabe”

  1. 1 Igor

    Olha a Dilma pode ter respondido aos senadores, que chamava de “vocês”, mas não explicou. Não para quem ficou atento, sem torcida. Infelizmente, essa oposição é absolutamente despreparada politica e retoricamente. A ministra engoliu todo mundo, conseguiu falar quase somente do PAC, ou seja, conduziu as discussões. Muita coisa precisava ser averiguada, não foi. Esse pessoal do DEM e do PSDB tem sérios problemas de raciocínio, pertinência e timing.

    A oposição não está fazendo o trabalho que deveria fazer, enferrujando os mecanismos de defesa da integridade da máquina pública que a democracia dispõe.

    Um exemplo do que o repórter Alvaro Gribel constatou e que os senadores, por ofício, deveriam ter aprofundado:

    “A ministra Dilma fala de números grandiosos, como, por exemplo, que só em rodovia vão ser gastos R$ 33 bilhões este ano. Isso precisa ser melhor explicado. O volume de dinheiro parece ser improvável, como mostram os dados oficiais…”

    O resto, lê-se aqui: http://oglobo.globo.com/economia/miriam/post.asp?t=para_entender_discussao_alguns_numeros&cod_Post=101253&a=73

    Do blog da Miriam Leitão.

    Sem contar as campanhas fora de hora, usando a máquina do Estado. O Serra estaria certo se a Dilma fosse apenas um bode expiatório. Não é. O problema é que a oposição, desmoralizada e sem a organização da PTpol, não dá conta do recado. O trabalho pela metade favorece a ministra, pois apenas desgasta o discurso por ineficiência e falta de conseqüências concretas.

  2. 2 Igor

    Se a oposição não faz nada, ferrou a democracia. Se faz, faz cagada e fortalece o PT. Incrível.

  3. 3 fabio

    Igor

    Tá faltando o Gabeira lá, não é mesmo?
    É só isso que eu estou tentando dizer para o Naprática.

  4. Fábio, tire esse ódio todo de seu coração🙂

    Igor, os caras são tristes, mesmo. Uma coisa interessante a esse respeito foi um negócio que saiu no Ex-Blog do CM outro dia. Uns leitores perguntaram pra ele o que deve fazer um jovem que quer entrar pra política. Evidentemente, queriam ouvir algo como “apareçam lá no comitê do PFL, entrem para a juventude do PFL, façam trabalho de base, daqui a um tempo vocês podem ser candidatos a alguma coisa”. Mas em vez disso o CM disse que eles precisavam de TIO (tecnologia, informação e ousadia).

    Na verdade, se o cara quiser entrar para a política no Brasil por um partido de direita, vai precisar de tio, pai, avô, alguma coisa assim, porque eles simplesmente não têm mecanismos de formação de quadros. Outro dia saiu na Playboy uma matéria sobre jovens políticos direitistas e todos eles – todos – eram descendentes de político.

    Enquanto os caciques da direita brasileira acharem que formar quadro se faz dando uma bimbada bem dada e esperando trinta anos, não vai sair disso.

    Diria o Fábio: não é à toa que os caras têm que subcontratar oposicionistas entre esquerdistas insatisfeitos. :))

    (Aí vocês dirão: porque você está interessado na direita brasileira se não vai votar nela? E eu responderei, com cara de quem já esperava a pergunta, que a esquerda brasileira não vai melhorar enquanto não tiver um adversário que dispute com base em conteúdo)

  5. 5 Igor

    Como libertário, em prol do livre mercado e de outras liberdades ameaçadoras, cada vez mais me pergunto se nosso problema é realmente a esquerda. Só não me pergunto tanto, porque talvez já saiba a resposta.

    Os males existem; os maus, também. Mas quando tudo isso se espalha tão facilmente, não tem algo coisa errada com aqueles que deveriam ser bons?

  6. 6 André

    Pô Igor, mais aí é que tá o problema da oposição: eles não sabem questionar nada. A Dilma foi na COMISSÃO DE INFRA-ESTRUTURA do Senado. Então que a encostassem na parede com relação a PROBLEMAS DE INFRA-ESTRUTURA, não dossiês e o escambau a quatro. Pô, poderiam ter questionado dos números do PAC, da execução das obras, etc., mas fizeram isso? Não, ficaram falando da porcaria do dossiê, o qual até o FHC já disse não acreditar ser obra da Dilma.

    Aí eu abro a internet hoje e vejo o seguinte:

    BRASÍLIA – O líder do DEM, José Agripino Maia (RN), disse nesta quinta-feira que a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) agiu de forma esperta e soube se transformar em vítima após a provocação do senador no depoimento ao Senado.

    “A ministra espertamente pegou um elemento da minha fala e ‘emocionalizou’ sua resposta, fugindo ao objetivo da minha pergunta”, disse Agripino a jornalistas. Ele também ocupou a tribuna do Senado para tentar se explicar.

    “Ela, com a esperteza política e com o uso da emoção, conseguiu se vitimizar, usando um argumento que não era o argumento da minha pergunta”, completou.

    O senador disse que apenas queria obter um esclarecimento sobre o suposto dossiê que teria sido produzido pela Casa Civil com dados sigilosos dos gastos com cartões corporativos do governo de Fernando Henrique Cardoso.

    Para Agripino, o dossiê se presta a “encostar num canto da parede pessoas como o ex-presidente Fernando Henrique e sua esposa”.

    Em qualquer lugar sério, este senhor estaria cassado. No Brasil, ele está aí serelepe, ainda dando uma de gaiato. Vamos torturá-lo também e depois fazer uma alusão ao episódio para ver se ele considerará que nós o “emocionalizamos” também.

    Falow

  7. 7 Igor

    André, a direita tem que, antes de tudo, virar direita.

    Agora, marcar posição demora anos e anos. Outro amigo meu (eu adoro os meus amigos) dizia que a pressa é um tipo de preguiça. É verdade. Acho besteira querer alguma coisa imediata dessas barangas, ou do DEM, ou do sei-lá-o-quê. Aproveitemos o que dá e joguemos fora o resto, que é quase tudo. Tem muita gente melhor do que isso fora da máquina, exatamente porque está fora dela. Aliás, essa força política informal (estou falando de liberais, da direita, etc) está sendo horrorosamente desperdiçada, mas já não dá para se meter com os “formais”. Continuo achando que política se faz por outros meios, e podem ser dignos.

    Não ignoro que nossos políticos também representam o estado mental do eleitor (50% aprovaria um terceiro mandato, por exemplo). Mas é melhor que se formem instituições sérias (culturais, econômicas, políticas…) para tentar chegar diretamente naquele que vota, do que no “votado” que passou 90% da vida fazendo besteira dentro de uma máquina eleitoral viciada. Bote algumas décadas para surgir algum partido de direita que preste, se surgir. E é aquilo que o NPTO falou, elevar o nível da esquerda, ou da política nacional, acaba dependendo de uma faxina na direita.

  8. 8 Felipe Basto

    Se a Dilma for eleita, a primeira pessoa a receber agradecimentos tem que ser o Agripino. Comparar mentira sob tortura com esa história de dossiê, foi um pouco mais que despreparo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: