Zimbabwe

09maio08

Ótimo artigo do Christopher Hitchens sobre o problema político no Zimbabwe, desde a época do conflito sino-soviético, quando a URSS apoiava o CNA do Mandela e a atual oposição do Zimbabwe, enquanto a China apoiava o Mugabe e uma oposiçãozinha radical da Áfica do Sul que tomou um toco miserável nas eleições e sumiu. O cara pró-URSS (não é o atual líder da oposição), em um dado momento, resolveu tentar um acordo com o governo branco da África do Sul, e o CNA deu uma certa distância dele (o que ajuda a explicar a atual pelegada da África do Sul frente às atrocidades do Mugabe).

O Hitchens, que é chegado numa polêmica, lança a teoria de que o Mugabe tem inveja do Mandela, seu rival na liderança do movimento pan-africano, e resolveu desmontar qualquer coisa que parecesse mandelista no Zimbabwe. Sei lá.

Mas a boa notícia no artigo é a seguinte: os operários dos portos sul-africanos se recusaram a descarregar armas para o Zimbabwe:

“The stirring news—that the dockworkers of Durban, South Africa, had refused to unload a shipload of Chinese weapons ordered by the lawless government of Zimbabwe—made me remember very piercingly how good it sometimes felt to be a socialist. Here’s a clear-cut case of solidarity and internationalism in which the laboring class of one country affirms the rights—”concretely” affirms the rights, as we used to say—of its brothers and sisters in another country. In doing so, it improves the chances of democracy worldwide. This is how socialism began, with Karl Marx and his allies organizing a boycott of Confederate slave-harvested cotton during the American Civil War, and however often a thieving megalomaniac like Robert Mugabe claims to be a socialist, there are still brave and honest workers who, by contemptuously folding their arms, can deny him the sinews of oppression.”

O que também, suspeita o Hitchens, pode estar relacionado com a falecida questão sino-soviética:

“The leader of the Zimbabwean opposition, Morgan Tsvangirai, is a celebrated labor-union man. The South African unions have a long record of allegiance to old-line communism, highly disdainful of Maoist adventures and Chinese meddling. China may now be a capitalist dictatorship and Mugabe a capitalist dictator, but these are not the least of history’s ironies if it’s an old-style red-labor-union tactic that begins to bring Mugabe down.”

Interessante. A propósito, se interessar a alguém saber mais sobre o Hitchens (comprem o livro dele sobre o Orwell, é bem legal), a Prospect fez uma reportagem muito boa sobre ele.



No Responses Yet to “Zimbabwe”

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: