Daniel Dantas

21jul08

Desde o começo dos anos 90 o Brasil ensaiava uma guinada neoliberal. Até hoje a guinada não foi lá essas coisas em muitos aspectos importantes, como ajuste das contas públicas, etc., mas, somadas privatizações, lei de responsabilidade fiscal, etc. é inegável que muita coisa mudou. Mas reforma sempre traz a marca de quem faz.

No Brasil não há nada remotamente semelhante a uma direita liberal consistente, a favor do capitalismo por princípio. A direita brasileira, representada sobretudo pelo PFL, é um acampamento de desesperados que apóia não o capitalismo, mas qualquer capitalista que lhe dê um troco. O regime militar brasileiro não fez qualquer esforço de produzir lideranças conservadoras civis independentes, muito pelo contrário, e, no meio dos anos oitenta, a direita brasileira já era composta quase exclusivamente de parasitas da máquina do Estado que garantiam seu poder distribuindo privilégios às elites locais, de subsídios fiscais a perdões de dívida, de concessões de rádio à repressão de movimentos sociais.

Era com essa turma que FHC tinha que contar para fazer sua reforma liberal (que era, em muitos aspectos, necessária). O rabo preso com o empresariado forçava muitos setores de PFL e cia. a apoiar medidas liberais. Entretanto, apoiar um liberalismo consistente seria suicídio político para essa gente. Se o Estado ajustar as contas, há menos para distribuir à clientela. Se não há mais estatais, não há como arrumar um emprego para o filho do coronel na filial da Petrobrás na cidade de  Aquinãotempetróleópolis.

Era preciso, portanto, mudar para continuar igual. A saída encontrada é representada brilhantemente na troca de guarda de ACM para Daniel Dantas.

Dantas foi aluno de Simonsen, foi do MIT, e é, provavelmente, um gênio das finanças. Simonsen o apresentou a ACM, que o lançou na arena nacional pelo PFL ajudando no programa de governo do FHC em 1994. ACM nunca foi o gigante político que descrevem seus biógrafos, mas sua troca de guarda foi brilhante.

O ACM pós-FHC não podia ser um nego troncho, tosco e ignorante que apareça na SUDAM, pegue metade da grana que tem lá e gaste em cachaça. Como Collor aprendeu da maneira mais difícil, com imprensa livre ladrão de galinha não tem vez na arena nacional. O ACM pós-FHC precisaria entender das finanças globalizadas e das peculiaridades do capitalismo regulado: precisaria saber a política das agências reguladoras, dos fundos de pensão, dos partidos e dos órgãos de imprensa. Quem tentasse dar os grandes desfalques do passado seria pego; era preciso de alguém que soubesse se mover pelos vários graus de cinza da fronteira entre Estado e Mercado, mesmo que, se necessário, precisasse entrar e sair de vez em quando de áreas particularmente sombrias.

Ainda não sabemos o quanto Dantas foi bem sucedido nisso. É sabido, e as tentativas recentes de abafa mostram isso, que tem gente grande no bolso. E deve ser difícil saber o quão ilegal foram suas ações, porque, como mostra a fusão recente, a lei muda conforme os arranjos estratégicos dos grandes gigantes monopolistas. É perfeitamente possível que saia livre dessa, e esteja no Amaury Jr. em alguns meses reclamando da perseguição que sofreu.

Agora, muita calma nessa hora. Se as elites políticas abafarem isso, vai ser com custo. Pela lei geral das coisas, quem estiver por baixo no PT, PSDB, etc., vai tentar subir acusando quem está por cima de ter sido conivente. Facções sindicais tentarão ganhar espaço nos fundos de pensão contra as facções que lá estão. Empresários concorrentes incentivarão a mídia a continuar cobrando o escândalo. Políticos importantes perderão a simpatia da mídia.

Visto que isso tudo são riscos reais, e todo mundo lá sabe isso mais que eu ( não é á toa que eles estão lá e eu aqui), é possível que assistamos a rachas emocionantes nos vários blocos da política brasileira, e, não sei não, numa dessas o Dantas dança e leva muita gente com ele. Se não, esperem rearranjos grandes no quadro político no médio prazo.

PS: por essas e outras é que o André não pode desanimar assim, não! Normalmente, quando um cara desiste, eu apóio, porque, se ele desistiu, é porque não ia dar em porra nenhuma, mesmo. Mas se os caras bons que nem o André (ou o vtYjr) começarem a votar nulo, estarão entregando o ouro ao bandido (literalmente) de mão beijada. Calma aí, galera! De pequeno progresso em pequeno progresso se faz grandes coisas, como diria Tyler Cowen. 

PSTU: essa do ótimo Samurai no Outono é incrível. (hat tip: Hermenauta)



5 Responses to “Daniel Dantas”

  1. 1 André

    Concordo com você sobre a questão das melhorias incrementais. Agora quando vc viu um presidente da República fritando um delegado Dom Quixote que foi lá e botou uma quadrilha das grossas pra dançar… E o pior: depois de fritar, ainda chama o cara de insinuador. Não, ainda tem mais: pra adicionar ofensa à agressão, ainda divulga trechos da conversa numa edição tosca em que, EM NENHUM MOMENTO, o cara diz por a + b que quer largar a investigação.

    Pô, ainda tem mais: Greenhalgh fazendo lobby com o secretário da Presidência pra salvar DD. Ministros do governo envolvidos na questão. Lula (via fundos de pensão) pagando 1 bilhão de dólares prum cara que, até um mês atrás, era acusado de gestão fraudulenta e roubo pelos próprios fundos de pensão. E retirando todos os processos judiciais contra o tal coisa-ruim. Tudo isso só pra ele ficar quieto.

    Não, ainda tem um pouquinho mais: os caras vão criar um dos maiores monopólios nacionais mudando na marretada a legislação vigente. Não, calma, ainda não acabei: com financiamento público do Banco do Brasil e do BNDES. Aliás, o senhor sabia que a “BrOi” vai ser a empresa com o maior financiamento tomado do BB (4,3bi)? Os caras têm TANTA CERTEZA que a Anatel vai mudar a legislação que até já pediram empréstimo no BB e, pasmem, o BB já liberou a linha de crédito…

    É demais. Eu descia a lenha no FHC por causa disso tudo. E agora o Lula tá fazendo igual. Só que de maneira mais apressada e goela abaixo do povo. Só no Brasil mesmo pra ter capitalismo sem risco… pra quem comprou empresa estatal!

    Abraços

  2. Ele voltou, mesmo não tendo ido! É isso aí, concordo com tudo.

  3. 3 Igor T.

    Grande texto, o comentário também. Nada a acrescentar, afinal com o vazio que a gente acaba sentindo não dá mesmo. Não fico surpreso com a situação atual, até esperava; já sabia da anterior, mas ainda assim entristesse. Sinal que a carcaça ainda não endureceu totalmente. E sobre o voto nulo do André, minha opinião não é muito diferente, em São Paulo talvez fizesse a mesma coisa. No Rio votarei no Gabeira movido por uma ingenuidade consentida.

  4. 4 Felipe Basto

    Para muita gente no governo mexer com o DD é o mesmo que suicidio. Por falar nisso, vcs conhecem o Coelho Suicida?
    http://fspike.wordpress.com/2008/07/15/o-coelho-suicida/

  5. 5 Mariana Mai

    Na Prática, vc voltou! Sentimos muito sua falta, principalmente nesses tempos de Daniel Dantas. Gostei muito do seu post, eu também acho que estamos progredindo, agora p/ desviar dinheiro público tem que ter PhD! Não estamos mais sendo dilapidados por qualquer zé-mané! Em uma sociedade em que até lixeiro tem que ter segundo grau, não esperaria menos do atual candidato a “maior saqueador do Estado Brasileiro”…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: