Eleições 2008: Discordamos cordialmente do Idelber

09out08

                

Com seu habitual entusiasmo, o Idelber Avelar diz o seguinte:

“Sobre o Rio de Janeiro, uma palavra: é de um cinismo atroz que os apoiadores de Fernando Gabeira achem natural receber endosso automático do PC do B, do PT e do PSOL, enquanto todas as forças políticas que sustentam Gabeira — o PPS, o PSDB, o PV — se aninham com Fogaça em Porto Alegre e com Kassab em São Paulo, optando por compor alianças contra a esquerda em todas as cidades importantes onde a escolha se apresenta. No Rio, a esquerda é de uma incompetência terrível, mas ela será o fiel da balança, com seus 17%. Há duas alternativas para o PT e o PC do B no Rio de Janeiro. Apoiar Gabeira não é uma delas. ”

Então, Idelber: né isso não. Senão vejamos:

1) Eduardo Paes foi apoiado no primeiro turno por PMDB, PSL e PP. Leitores paulistas já devem ter começado a rir, mas para quem é do resto do país, vale lembrar: esse é o eixo do mal da política paulista, formado por Quércia (que indicou o vice do Kassab e deu-lhe a vitória no primeiro turno com o tempo de TV), Pitta e Maluf. Em POA, o PMDB é o partido do adversário do PT. Naturalmente, não vale citar o apoio dado por PT, PCdoB e PSB no segundo turno como argumento para PT, PCdoB e PSB apoiarem Paes no segundo turno. Isso não prova que Paes seja uma boa candidatura para a esquerda, prova que a esquerda anda meio desorientada.

2) Se não me engano, em Salvador (uma cidade importante, não?) PPS e PSDB apóiam o candidato do PT. Aliás, em Nova Iguaçu o Lindbergh tem o apoio do César Maia.

3) Nem falemos em BH. E, se você tiver alguma objeção a votar no Lacerda, tem que sentir horror a votar no Paes.

4) Quem já foi aliado de Gabeira, como nós, sabe que ele mantém sua independência. Quem já foi aliado de Paes sabe que ele trai na maior, mesmo.

5) Idelber, nenhuma palavra sobre quem seria melhor prefeito para o Rio?

No fundo, o argumento do Idelber é muito mais simples: é preciso fortalecer a base de apoio do Lula no congresso. Esse argumento é legítimo. Não dá para imaginar, no momento, o governo funcionando sem o PMDB. Daí que o apoio da máquina ao Paes é razoável.

Por outro lado, se essa é a base que temos, essa é a base que queremos? Sinceramente, alguém acha que PP, PTB, etc. são mais próximos do que o PT tem de melhor do que PSDB ou o PV do Rio? Cometemos um erro se subestimamos o que foi a crise de 2005 só porque Lula deu a volta por cima. Ficou claro que é preciso pensar de novo a política de alianças para o cenário pós-Lula (até porque não acharemos outro cara tão carismático), de maneira que não precisemos do apoio de partidos que só se conquistam com mesada.

Por isso, tão importante quanto manter a maioria parlamentar (que, até agora, não foi usada para muita coisa importante no segundo mandato) é formar o consenso de esquerda democrático para o pós-Lula, sem se preocupar com os rancores narcisistas dos últimos anos.



3 Responses to “Eleições 2008: Discordamos cordialmente do Idelber”

  1. 1 Homero

    Nada mais natural que o Idelber ficar de braços dados com o Crivela no Rio, em apoio ao Eduardo Paes. Nada se parece mais com religião que a ideologia.

  2. Ricardo, não consegui ver, conte pra gente aí o que você achou. Homero, dê uma folga ao Idelber, ele mandou mal nessa mas é um cara inteligente.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: