Não deu

27out08

Fernando Gabeira perdeu a eleição para prefeito do Rio de Janeiro por uma diferença de apenas 50.000 votos. Vai ter gente falando de vitória política, vai ter gente falando de campeão moral, isso me interessa menos do que a participação do Suriname nas eliminatórias da copa do mundo. 

Vou dizer o que eu acho que faltou: faltou petista, e faltou a turma que apoiava o Gabeira ser mais petista.

Eu participei da campanha como volutário. Só tenho elogios ao Fabiano, que organizava os voluntários, e à maioria das pessoas que encontrei nas reuniões e atividades de campanha. Em especial, gostaria de saudar os colegas que fizeram o trabalho na zona da Leopoldina, na Zona Norte e na Zona Oeste, pelo heroísmo de ir pro pau em circunstâncias muito adversas.

Mas eu acho que faltou um grau de militância. A campanha foi dividida em áreas. Cada um fez campanha na sua vizinhança, o que é legal, é mais fácil, mas teve como consequência que na Central do Brasil, por exemplo, só estivessem disponíveis os heróicos voluntários que moram por ali. Ora, tendo feito já campanha pelo PT, me parece claro que era necessário estabelecer um rodízio entre pessoas de áreas diferentes para fazer a Central. O pessoal da Zona Norte tinha um desafio dificílimo, enfrentando uma máquina de campanha assustadoramente cara (nunca vi nada igual em campanha para prefeito) que fazia campanha (paga) para o Paes. Esse pessoal deveria ter recebido ajuda muito maior dos voluntários da Zona Sul, por exemplo, que eram mais numerosos. Era necessário um comando centralizado para organizar isso.

Em outros termos: acho espetacular que o Gabeira tenha conseguido mobilizar muita gente que normalmente não faz campanha. Mas, a partir do momento que todo mundo resolveu fazer, tem que fazer campanha como campanha. O PT já fez várias vezes campanha contra máquinas poderosas. Mas o trunfo era o fato de que a militância era espetacularmente comprometida a ir onde precisasse. 

Não culpo a turma dos voluntários por isso. Não se pode esperar que o cara vire um militante comprometido da noite para o dia. O que realmente me irrita é meu partido, que, se tivesse oferecido 50, 70 militantes, teria ganho essa eleição para o Gabeira, ter apoiado o Paes. Um apoio do PT ao Gabeira teria fortalecido o PT na cidade extraordinariamente, teria fortalecido a imagem do partido na disputa em São Paulo, e teria sido melhor para a cidade.

Sem apoio do PT, Gabeira ficou com apoio de PV, PSDB e afins, que, como já dizia o saudoso Mário Covas, ainda precisam aprender a botar o pé no barro.

Claro, o Gabeira poderia ter feito mais para atrair o PT (a base, naturalmente; quem quer aquela merda de direção municipal?): poderia, por exemplo, ter declarado neutralidade nas próximas eleições presidenciais. Mas agora não adianta pensar nisso.

Gabeira diz que vai mobilizar seu apoio para tentar realizar algumas das coisas que prometeu mesmo fora do governo. E realmente seria uma pena se a extraordinária rede de blogs e companhia que apoiaram o Gabeira se dissolvesse totalmente. Lembrem-se: houve um dia em que o site de campanha teve mais acessos do que o site da Globo.

Pessoalmente, minha maior satisfação seria saber que algumas pessoas que chegaram aqui pelo apoio à Marta foi dar uma olhada nos sites da turma do Gabeira, que a turma que chegou pelo apoio ao Lacerda tenha ido checar os sites do pessoal da Marta, que o pessoal do Gabeira tenha ido ver o que tinham a dizer os blogueiros mineiros, etc. O que me interessa é construir um novo consenso progressista, e espero que os esboços desse movimento que surgiram nessa campanha não sejam desperdiçados.

Enfim, lutamos o bom combate, a próxima campanha começa amanhã.

PS:não, a vitória do Paes não é a vitória do mal absoluto. Vamos esperar para ver como ele se sai para prefeito; vale dizer, essa foi a melhor eleição no Rio em muito, muito tempo.

PSTU: a vitória do mal absoluto foi o resultado em Campos dos Goytacazes.

PSOL: Parabéns ao Pedro Dória por ter lançado a campanha, há um tempão.



12 Responses to “Não deu”

  1. 1 Felipe Basto

    Se o eu texto de “porque GAbeira?” tivesse saido antes… teria conseguido mais votos entre os leitores. Não deu para ir pro Rio, votar. E a derrota aos 44 do segundo tempo, dá uma idéia de culpa. Como se o meu votinho pudesse mudar alguma coisa. Antes da próxima campanha dá uma olhada nisso aqui: http://colunistas.ig.com.br/ricardokotscho/2008/10/26/lula-vieiraexclusivo-a-vitoria-de-gabeira/

  2. Não, sem culpa. Deve-se contar também o fato do Rio de Janeiro ter tido a maior abstenção de todo o processo eleitoral. Pelo que acompanhei aqui na Globo News, Record News e Internet, 20% dos eleitores do Rio não votaram (números oficiais do TSE).

    Discordo do Felipe, não foi derrota aos 44 do segundo tempo. O jogo já havia sido levado para a prorrogação.

    Pessoalmente, nunca senti o que senti em uma entrevista de um político: assisti a entrevista de Gabeira, quando ele reconheceu a derrota, e não me contive, chorei. Chorei mesmo. Não havia chorado nem quando morreu o Toninho, em Campinas. Fiquei arrasado. Mas com essa derrota do Gabeira, chorei sem apelo, sem pieguice.

    Agora, precisamos de 100 Gabeiras. 1000 Gabeiras. Multiplicar a atitude que ele teve em sua campanha. Bola pra frente!!!

    PS – Em Belém, o perigo imediato e iminente de Jáder Barbalho retornar ao poder por meio da eleição de José Priante foi afastado. No município vizinho, Ananindeua (que seria o equivalente à Osasco em relação à São Paulo), a eleição possivelmente será anulada por fralde – o que pode significara a derrota de Helder Barbalho, o filho do cara.

    Em Belém, começa agora a oposição à Duciomar Costa.

  3. Sinto muito, presidente. Mas essa eu ponho na conta da “esquerda” (não conto com a “direita” no Rio): a mutante Jandira foi assustadora, unindo-se aos setores progressistas da sociedade, nomeadamente a Universal. O PT foi o de sempre no Rio, venddido para a pior oferta. E o Molon consolidou meu não voto nele mesmo respeitando.

  4. 4 Fabio

    NPTO, quando é que você vai se convencer de que um partido que apoia qualquer um por 25 centavos pertence ao eixo do mal, o lado negro. E não estou falando do PCdoB de Jandira, Paes, Rosinha e Moreira Franco, estou falando da porra do PT.

    Pare de reclamar da direção nacional como um filho que quer mostrar valor pro pai, que vive se embebedando fazendo merda e sodomizando o seu dolorido cu. Entenda que o seu “pai” político não vale nada. Você é prova de que há pessoas legais filiadas ao PT, mas sua legenda é uma merda mesmo, mais vale sair e fundar uma pequena legenda decente e honesta.

    Eu to aqui lamentando a derrota do Gabeira mas estou feliz com a derrota da Mar-taxa. Como bem disse o Kassab, ele rompeu com o Pitta. E ela, rompeu com a turma do mensalão? E depois, preconceito por preconceito prefiro um solteirão sem filhos do que uma vagabunda que trai o marido com um… ARGENTINO!

  5. Se a campanha no Rio foi entre o bom e o não-tão-mal, aqui em Belém, desde o início, não houveram opções… Fim das contas, ontem, indo votar, ouvi o seguinte comentário:
    “Todo mundo merece uma segunda chance, por isso votei no Duciomar!” Essa é a mentalidade política do povo belemense! Nesse ponto, caí na gargalhada e me conformei em agüentar mais quatro anos de inércia (por que não dizer disídia) da gestão Duciomar. Não por culpa dos técnicos e funcionários (que fui até dezembro), mas pela incompetência na gestão que faz com que esses mesmos fujam da prefeitura (eu, por exemplo, abri mão de uma chefia pra ganhar menos em outra esfera, mas com paz de espírito e condição de trabalho).
    No meu blog fiz uma enquete. Opções: Duciomar (de novo), Priante (a cria do Jader) ou esperar a próxima eleição. 70% dos votos foram para a esperança de um novo quadro daqui a 4 anos… Sintomático. Se o voto não fosse obrigatório, aí sim, poderíamos avaliar o que o povo brasileiro pensa!
    Quanto à militâcia, te faço umas perguntas: será que o petista não cansou de ser petista? Será que, tendo alcançado o poder, já não está decepcionado ou conformado? Até que ponto a ideologia (e qual) move a militância? Quantos vão pra rua pra cobrar um emprego (oou mesmo um cargo) depois da eleição? Como a escala de Belém é menor que do Rio ou São Paulo, é identificável esses desvios… Mas, não pense que não acredito na militância séria, senão não estaria aqui!!!
    Quem perdeu não foi Gabeira, Martha… fomos nós! (mas, pelo menos, não vivemos em Campos, o que nos sá um alívio…)

  6. 6 Felipe Basto

    Renato, o jogo foi pros penaltis.
    O Cabral colocou o feriado do funcionalismo pra hoje e amanhã,e já liberou o 13º. Na fila de justificativa, aqui em BM, tinha 4 funcionários do estado e a dona disse que todo mundo viajou. Ela estava em Angra de manhã e a fila era imensa. Só tinha funcionário…

  7. Felipe

    TAPETÃO FILHA DA PUTA!!!

  8. Felipe, Renato, que papo de culpa, tristeza, é essa? Tem que ter, como dizia o Hans Magnus Esziasdfghwsrytnb (sei lá como se escreve o nome daquele cara), raiva e paciência, ainda faremos muita campanha junto, e é inevitável que coloquemos na bunda dos caras cedo ou tarde: todas as leis da física apontam nesse sentido.

    Amiano, Fabio, parte da conta é da esquerda – embora aí eu me sinta obrigado a livrar a cara do Molon; todo mundo na campanha do Gabeira respeita o cara por não ter saído em defesa do Paes, apesar da imensa pressão nesse sentido. PT, PDT e PCdoB fizeram feio.

    Agora, o Gabeira não perdeu porque o PT, o PCdoB e o PDT apoiaram o Paes: praticamente todos os votos do Molon foram para o Gabeira, mais de 2 em cada 3 da Jandira foram para o Gabeira, quase todos os do PDT foram para o Gabeira, quase todos os votos do Chico se transferiram ainda no primeiro turno. Esses partidos (exceção do PSOL, que manteve a coerência e ficou neutro) machucaram muito mais a si mesmos do que à candidatura Gabeira. Não sei se, por exemplo, Jandira, terá a mesma votação na classe média que tinha até hoje.

    E o que significou esse apoio? O PT não tem mais nenhuma liderança popular no Rio de Janeiro, e o sumiço do Molon esterilizou totalmente a transferência, a não ser da parte de meia dúzia de acadêmicos punheteiros. O Babu ter apoiado o Paes era perfeitamente natural, e, aliás, coerente da parte dele. Todas as figuras importantes do PDT – Jorge Roberto e Miro – apoiaram Gabeira. Ficou lá a Jandira, mas acho que só transferiu os votos dos militantes do PCdoB, que são quantos?

    O que faltou foi PSDB, PV e PPS serem partidos de verdade. Se é verdade que o Gabeira precisava dos petistas, é porque você tem que estar bêbado para esperar que a turma desses partidos vá fazer campanha em favela, vai acordar cedo para ir para a Central do Brasil, enfim, vá servir para alguma coisa. Quando digo que faltou o PT, é porque não tenho a mais remota esperança que os outros partidos ofereçam militantes razoavelmente formados por atuação política fora de época de eleição.

    Cara, se você não for fazer campanha na Central, o que vai ser a eleição na Central? Cheguei na Central meio-dia, não tinha O Globo nem o JB para vender, só do Dia pra baixo. O Dia apoiava o Paes. A galera do Paes estava lá fora. E só tinha ela. Queria ganhar como? Com blog? Porra, se o acesso a Internet no Complexo do Alemão fosse o suficiente para fazer a campanha só com blog, provavelmente nem precisaríamos estar discutindo política, o Brasil já teria o IDH da Noruega.

    É verdade que o PT ainda precisa ler “O Crepúsculo do Macho”. Mas tucanos e verdes precisam ler “A Alvorada do Macho”.

  9. 9 Felipe Basto

    NPTO, tou puto. Cara aqui em Barra Mansa o prefeito eleito teve a diplomação negada pelo TRE, devido ao uso da imagem do Cabral inaugurando a UPA aqui. O segundo colocado, que eu já citei aqui como tucano de rapina, deve assumir caso o MP livre a cara dele nuns processos aí. sinistro. Tem gente querendo se mudar.

  10. Mestre (ou, para ser mais acurado, doutor!)
    Vou ter que discordar. Não na natureza do seu argumento – afinal de contas, qual candidato não gostaria de ter militantes super animados fazendo campanha na Central? – mas em grau. Nós estamos falando de coisas diferentes. O seu post é uma crítica ao que faltou, só um por cento pro cara vencer. Eu estou impressionado é com ele ter chegado ali. Eu acho que não teve falta de militância, o seu argumento não faz sentido. O cara chegou lá, só perdeu no finalzinho. Mais militância seria bem vinda, com certeza, mas o resultado do Gabeira só faria sentido com muita militância. Mas eu tenho minhas dúvidas sobre a eficiência da máquina do PT. Você vai me desmentir, mas eu não consigo pensar em uma eleição majoritária importante vencida pelo PT no RIo, com militância e tudo. Nem pra prefeitura nem pro governo, que eu me lembre foi só paulada.

    Outro ponto: Que a direção do PT ia botar o PT-RJ no eixo, isso é problema interno pros petistas resolverem. Cada um com seu cada um, então eu posso reclamar da falta de visão das lideranças petistas, mas meu direito de reclamar é limitado. Quanto ao Molon, ele deve ter sofrido uma puta pressão, mas perdeu uma oportunidade excelente. Ee foi sacaneado pelo PT o tempo todo, e foi fraco. Problema dele, política é isso.

    Finalmente: transferência de votos. Tenho minhas dúvidas. O Alessandro tinha forte apoio de setores da Igreja, e faz anos que está ligado ao Padre Zeca, ou seja lá como for o nome daquele cara irritante com o violão. Por mais progressista que seja a igreja brasileira, a do Rio não está exatamente na vanguarda.
    Deixei meu arrazoado lá no Amiano.
    Abraços
    Guto

  11. Grande Amiano! Cara, o Gabeira chegou onde chegou por 1) puta mobilização de classe média, principalmente pela Internet, um negócio inédito. 2) Apoio do Armínio, que melhorou muito a arrecadação de campanha. 3) Voto anti-Crivella, a partir do momento em que chegou aos 12, 13%. No segundo turno, cresceu com a adesão automática da esquerda, e o apoio do Globo.

    O PT nunca teve apoio do Armínio Fraga, nunca teve apoio do Globo, nem criatividade para usar a Internet (até hoje não se acha banner para blog de nenhum candidato petista). Já chegou a ir para o segundo turno, com a Benedita, se não me falha a memória, duas vezes. Aí faltou todo o resto que o Gabeira tinha, propostas para a classe média, carisma, Internet, mídia, etc. Mas a militância fez ela perder por 2 ou 3% para o CM da primeira vez. Ou seja: dá pra conseguir bem mais que 50 mil votos com militância. Sem sacanagem: 30 militantes do PT (se não do PT, de quem?) se revezando na Central do Brasil desde o início do segundo turno teriam virado muito mais que 50 mil votos.

    Naturalmente, depois que o PT apoiou Garotinho, a ascendente reverteu dramaticamente, já na eleição passada para prefeito o PT teve uma votação ridícula. Mas Garotinho só precisava da aliança porque Benedita fechava, enfim, a Zona Oeste de cima abaixo.

    E eu acho meio sacanagem jogar o Molon no fogo. Abandonaram o cara, ele certamente perdeu pontos com a direção por ter se recusado a aparecer com o Paes (de quem teria sido facilmente secretário do que quisesse), agora a gente jogar a culpa de nossa incapacidade de fazer campanha em cima do cara que teve 5% dos votos é fogo.

    O eleitorado de classe média do Gabeira pode, se quiser, botar a culpa na esquerda, que fez merda. Mas seria melhor se reconhecesse sua própria incapacidade de se articular com a participação popular.

  12. 12 Felipe Basto

    OK, me desminto, pode ser diferente, limpo. Se não pra q estar aqui?
    http://pedrodoria.com.br/2008/10/27/a-vitoria-de-fernando-gabeira/


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: