Eleição 2008: Saldo

28out08

Sem ordem aparente:

1) Cada um no seu quadrado: Serra ganhou em São Paulo, Cabral no Rio, Aécio em BH. No que se refere à emocionante briga por centro acadêmico da USP entre PT e PSDB, BH empatou, Sampa deu PFL com apoio dos tucanos, no Rio vocês já sabem.

2) O resultado que realmente tem que envergonhar a esquerda é Porto Alegre. Gosto da Maria do Rosário, e lá era uma espécie de São Paulo ao contrário: tinha um cara que ganharia o primeiro turno (como a Marta deveria ter ganho), mas os três seguintes tinham alto poder de convergência (Rosário, Manuela e Genro, como em SP Alckmin, Kassab e Maluf), e somavam quase a maioria absoluta. Perder por mais de dez pontos nesse cenário é uma façanha que a oposição em São Paulo, por mais que tenha tentado, não conseguiu. Me irrita também que Manuela tenha demorado para apoiar Rosário porque estava chateada, enquanto Jandira no Rio abraçou Paes com o abandono desesperado do primeiro amor – nesse ponto, respeito mais Jandira.

3) O grande fato, mesmo é a vitória do PMDB: POA, Foripa, São Paulo como vice, Rio de Janeiro, quase BH, Salvador, Goiânia, os companheiros de partido do Garotinho deram uma lavada. Ainda tenho esperança de que o PMDB traia o PT na maior cara de pau, mas acho que a tendência é chegar PT-PMDB contra PSDB-PFL em 2010. Agora, é aquele negócio: se a tendência é essa, o mais provável é que aconteça alguma coisa no meio do caminho.

4 – O PT de São Paulo vai ter que repensar sua atuação profundamente depois que Maluf deu lugar a Kassab no canto direito do espectro. A tática sempre foi bater o PSDB no primeiro turno e contar com a vergonha dos tucanos votarem em Maluf para ganhar no segundo. Os tucanos não têm vergonha de votar em Kassab. Será preciso atrair os eleitores de classe média do PSDB, e isso quer dizer mudar estratégia e programa.

5 – Em uma certa altura do processo, resquícios do PT do Rio foram avistados por alguns observadores, mas parece que era só um alarme falso.

6 – Agora que o mandato é dele, Kassab vai continuar sendo Serra II? Quércia e uma manada de pefelistas desempregados pelo Brasil afora não vão querer cargos?

7 – Gabeira para o Senado ou para o Governo do Estado?

8 – Eduardo Paes, devo dizer, é uma figura que deve crescer na política nacional.

9 – Digam o que quiserem, eu gostei do resultado de BH.

10 – Crivella tem o direito de pedir o que quiser de Paes. Foi o melhor transferidor de votos no Rio, e odiou ter que apoiar Paes. Vai pedir, tenham certeza.

11 – PT e PSDB cederam jóias importantíssimas para PMDB e PFL: São Paulo, Rio, POA, Salvador (nos dois últimos, pelo quase não envolvimento do Lula no segundo turno entre aliados). Dá pra confiar nesses caras para retribuir? Pelo sim, pelo não, da Bahia para baixo acho que PT e PSDB só encabeçam em Curitiba e Vitória, entre as capitais.

PS: Não deixem de ler as análises do Amiano, do Idelber, e o comentário do Arranhaponte sobre a eleição no Rio.



3 Responses to “Eleição 2008: Saldo”

  1. 1 Felipe Basto

    3 – O partido da Rosinha trair o PT, não quer dizer tanta coisa, pra eles. O PMDB sempre será o grande partido da base do governo, qualquer governo.
    5 – Se houverem resquicios é melhor chamar o Ash,e achar um exemplar do Necromicom, aquele de Evil Dead. Trata-se de um nosferatu.
    7 – Senado
    8 – Cresce, mas depois murcha que nem balão de ar.
    10 – Vai cobrar bem caro. Só espero que não coloquem criacionismo nas escolas.rsrsrsrs.
    11 – O Rio já era do DEM há um tempão.
    PS – Como sempre, os caras mandam bem.

  2. 2 Gaius Baltar

    1. Realmente, os governadores do triângulo da Bermudas foram os grandes “eleitores” desta vez. A vitória deles é clara. Contudo, o maior vencedor foi o Serra. Não somente conseguiu eleger o Kassab, como enfraqueceu muito seu principal adversário dentro do próprio PSDB, que é o Alckmin.
    3. O grande vitorioso destas eleições, por qualquer ângulo de análise, é o PMDB. Esse fato lançará importantes reflexos para 2010. Veja-se que o PMDB de hoje foi forte o suficiente para deixar o senhor Presidente longe de todas as disputas entre o PMDB e o PT. Imagine-se, agora, o partido revigorado pelos atuais resultados.
    4. Realmente, o PT vai ter repensar muita coisa em SP. Mas se depender de analistas o quilate de um Rui Falcão, vai ficar difícil. Agora, não posso concordar que o Kassab seja herdeiro do maluf e possa ser colocado como representante da direita em SP. Por aqui, o DEM (PFL) quase foi linha auxiliar do PSDB. Se é verdade que a origem do Kassab é o vil malufismo, não se poder perder de vista o fato de que, muito espertamente, ele soube aproveitar a chance histórica e pegou o bonde do Serra e do PSDB de São Paulo.

  3. Gaius, excelente comentário. Realmente, ao comentar o saldo, substimei os ganhos do Serra dentro do PSDB, vou fazer um post sobre isso.

    Quanto ao Kassab, não é tanto que ele seja tão ruim quanto o Maluf, é que ele ocupa um espaço no espectro que é semelhante: o pessoal mais à direita (sem preconceito) que se preocupa fundamentalmente com ordem pública, essas coisas. Suspeito que assim que ele tiver ambições estaduais, comece a priorizar o discurso mais linha-dura na segurança.

    Como 20 ou 30% do eleitorado paulistano era situado nessa parte do espectro, a partir do momento que o potencial de coalizão entre esse povo e os tucanos cresceu dramaticamente (quando o DEM substituiu o Maluf), ficou difícil para o PT.

    É, Rui Falcão é fogo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: