Wholeheartedly

31out08

   

O “Wholeheartedly” (de todo coração) na declaração de apoio é significativo se comparado com a maneira pela qual a revista apoiou o Kerry na última eleição: era algo como “It’s with a heavy heart…” (é com o coração pesado…), o apoio mais deprimente que alguém já recebeu.

Vale dizer, a The Econonomist queria seguir seus instintos e votar no McCain. Alguns números atrás, fez uma capa que implorava “Bring Back the Real McCain”. Mas a incompreensível sarapalinização de McCain tornou o apoio impossível. Na declaração de apoio ao Obama, a revista entrega os pontos e lamenta: “If only the real John McCain had been running…”

No supertrunfo dos Obamacons, o apoio da The Economist vence qualquer outra carta.

A propósito, leiam a edição inteira, vale a pena.

UPDATE: O André, que está ocupado demais resolvendo a crise financeira internacional para blogar, nos envia a notícia de que a Economist publicou um histórico bacana de suas declarações de apoio anteriores. (hat tip> Sérgio Dávila).



One Response to “Wholeheartedly”

  1. 1 Fabio

    Mas afinal de contas, o que deu no Mac-Cain? Resolveu investir em Big-Micos? Seus princípios Mac-Melted? Alguém já fez uma análise séria sobre o tipo de campanha que o cara tá fazendo?


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: